Após a pandemia, 7 em cada 10 empresas realizam vendas pela internet

Após a pandemia, 7 em cada 10 empresas realizam vendas pela internet
Dai 19 de julho de 2021 Blog

Já falamos muito aqui no blog sobre as mudanças no cenário do e-commerce após a pandemia por coronavírus. O fechamento do comércio acelerou um processo que já vinha acontecendo: a expansão das vendas pela internet.

De acordo com a 11ª edição da pesquisa “O Impacto da pandemia de coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), 69% dos pequenos negócios vendem online e, de cada 10 empresas, 7 já comercializam seus produtos e serviços pela internet.

Mudanças

Essa mudança garantiu a sobrevivência de inúmeros negócios, que conseguiram se reinventar através das vendas online. Este mercado certamente foi o que menos sofreu com a crise e já se esperava um aumento significativo no número de lojas virtuais. 

A ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), divulgou que antes da pandemia estimava-se que 60 mil novas lojas virtuais seriam abertas em 6 meses. Porém, de março a setembro de 2020 foram registradas mais de 135 mil.

Neste ano, em uma pesquisa realizada pela Neotrust com dados de compra no comércio eletrônico durante o primeiro trimestre, registrou 78,5 milhões operações – 57,4% a mais do que em 2020, com um faturamento de R$ 35,2 bilhões e um crescimento de 72,2%.

Loja virtual

Apesar de muitas empresas fazerem sucesso através das vendas pelas redes sociais, não é o mesmo que ter uma loja virtual. “Todas as empresas têm um perfil nas redes sociais, mas nem todas tem um site. As que têm, conseguem se diferenciar, ao ter uma presença digital mais sólida e profissional”, afirma o diretor de marketing da GoDaddy no Brasil, Luiz D’Elboux.

Ele ainda explica que as redes sociais não pertencem ao empreendedor, mas sim à plataforma. Há muitos casos de redes sociais que deixaram de operar, como MySpace, Orkut, Google Plus e levaram consigo todo o ativo digital dos seus clientes. “É como se o dono de uma padaria chegasse para abrir o seu negócio pela manhã e o estabelecimento não estivesse mais lá…”, diz o diretor. 

Ter uma loja virtual com sua identidade, transmite segurança para o cliente e aumenta as chances de vender ou fechar um novo negócio. “Isso porque você não consegue ter a atenção do seu cliente nas redes sociais, que estimulam que ele passe rapidamente para outro conteúdo. Já no seu site você tem a atenção total do cliente, pode contar sua história, mostrar seu propósito, seus diferenciais”, completa o executivo.

Um bom site, com um design profissional, não é exclusividade apenas dos grandes players. Qualquer empresa pode comercializar pela internet, a prova disso é o número de lojas criadas neste último ano. Um e-commerce criado do zero, com domínio próprio, identidade personalizada é seu! Poderá modificar, personalizar e atualizar sua loja sempre e como preferir e essa independência vale qualquer esforço.

Muitas empresas ainda têm um receio, principalmente pela parte técnica que a criação de uma loja virtual exige. Entretanto, achando a plataforma ideal e os parceiros certos, tudo pode se tornar mais fácil do que se imagina.

Aqui na Signa, temos um time de profissionais preocupados com o cliente, que podem acompanhá-lo em toda essa fase operacional de criação da loja. Se já é nosso cliente, deixe nos comentários como está sendo sua experiência conosco. Caso ainda não conheça nossos serviços, entre em contato com a gente, vamos adorar atendê-lo.

Daiane Caroline

Publicitária de formação e apaixonada por comunicação. Escreve para o blog da Signativa e toma café o tempo todo.

Post your comment