Código de Defesa do Consumidor para e-commerce

Código de Defesa do Consumidor para e-commerce

A internet não é uma terra sem lei, ao contrário do que muitas pessoas costumam pensar. Toda compra e venda online é amparada pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), que regra o comércio brasileiro (eletrônico ou não). O CDC é um conjunto de normas que tem como objetivo proteger e defender os direitos dos consumidores. Ele também visa disciplinar as relações de consumo entre fornecedores e clientes finais, estabelecendo padrões de conduta, prazos e penalidades.

Um dos direitos previstos no Código de Defesa do Consumidor, é a troca de produtos. Esse processo é comum em qualquer tipo de comércio, mas algumas lojas virtuais, por falta de uma política de trocas e devoluções, parecem dificultar a vida de seus clientes. Para atender o usuário da melhor forma possível, os lojistas precisam estar preparados para essas questões, que são recorrentes no e-commerce. Se ainda não sabe como fazer isso, preparamos uma lista com 5 dicas para sua empresa cumprir o CDC. Confira:

1. Conheça o Código de Defesa do Consumidor
A fim de evitar erros, é importante que a loja virtual conheça o CDC a fundo. Isso porque um problema de logística simples em uma compra, pode colocar em risco a reputação da marca. Com o Código de Defesa do Consumidor em mente, é possível oferecer a melhor experiência aos clientes. Além disso, saber quais são seus direitos e como sua empresa deve agir em casos específicos, pode evitar muitas dores de cabeça.

2. Tenha um bom atendimento
Um bom atendimento é uma das coisas mais valorizadas pelo cliente online. Quando ele é bem atendido, as chances de retornar à loja por conta disso são muito altas. Portanto, se o lojista se mostrar preocupado e disposto a resolver o problema, o consumidor dificilmente irá processar a empresa ou postar comentários em sites de reclamações. O segredo é sempre tratar as pessoas com respeito, mostrando que os contratempos podem ser resolvidos sem a interferência de terceiros.

3. Evite a transferência de responsabilidade
Se você já falou com várias pessoas para tentar resolver um problema, sabe como isso pode ser desgastante. Um acaba transferindo a responsabilidade para o outro, deixando as partes envolvidas cada vez mais irritadas. Essa prática deve ser evitada a todo custo em seu e-commerce. Não adianta colocar a culpa no fabricante por um produto com defeito e pedir que o cliente resolva com ele, por exemplo. Faça a sua parte e atenda a reclamação, pois sua loja é tão responsável quanto o fornecedor.

4. Entregue os produtos no prazo
Às vezes, a loja virtual promete prazos que não pode cumprir. Isso causa um desconforto muito grande nos clientes, portanto, procure definir datas de entrega que não sejam impossíveis. Se algo que foge do seu controle acontecer, seja transparente com o consumidor e ofereça uma solução viável, como a troca do produto ou a devolução do dinheiro.

5. Firme parcerias com fornecedores confiáveis
A parceria com fornecedores confiáveis é um ponto muito importante para evitar problemas com os produtos. Faça um trabalho de pesquisa, procure referências e realize testes antes de fechar negócio com qualquer empresa. Tenha em mente que se o seu fornecedor não cumpre prazos ou envia mercadorias com defeitos, você e seus clientes ficam na mão.

Cumprir o Código de Defesa do Consumidor não tem segredos. É preciso atenção, bom senso e muita responsabilidade. Informe-se sobre o CDC e não deixe de aplicá-lo em seu e-commerce. Lembre-se de que é a reputação de sua loja virtual que está em jogo, por isso, todo cuidado é pouco.

Já conhece a plataforma de e-commerce Signashop? Saiba mais sobre nossos planos e cadastre-se (vai levar apenas 2 minutinhos).

Venha para o Signashop e tenha uma loja virtual de qualidade, com um investimento justo.

CRIE UMA LOJA E TESTE GRÁTIS POR 14 DIAS

Leave a Reply

Your email address will not be published.