Meios de pagamento no e-commerce

Meios de pagamento no e-commerce

Existem alguns fatores essenciais para montar uma loja virtual e vender seus produtos de fato. Escolher os meios de pagamento talvez seja uma das coisas mais importantes, afinal, como você poderá fazer uma venda sem ter como receber por ela? Ter várias opções disponíveis é uma ótima maneira de atrair mais clientes e, consequentemente, vender mais.

De acordo com o relatório WebShoppers, da E-bit, o cartão de crédito é o meio de pagamento mais utilizado no e-commerce, representando 73,7% das compras. O boleto bancário fica em segundo lugar, com 19,2% na preferência dos brasileiros. As duas formas são indispensáveis em um loja virtual e dependendo da plataforma escolhida, as configurações são relativamente fáceis.

Existem três tipos de sistemas de pagamento no e-commerce: intermediadores de pagamento, gateways de pagamento e integração direta com o adquirente. Listamos alguns exemplos e vantagens de cada modelo, para que você possa escolher a melhor opção para seu negócio.

1. Intermediadores de pagamento
Este é um dos meios de pagamento mais indicados para pequenas e médias empresas, pois sua configuração é considerada simples. O intermediador fica responsável pela questão da segurança na venda, proteção contra fraudes e conciliação financeira simplificada. Quando o cliente finaliza a compra, ele é levado até o site do intermediador, onde se cadastra e finaliza o pagamento.

Exemplos de intermediadores de pagamento: PagSeguro, MercadoPago, PayPal.

2. Gateways de pagamento
Os gateways de pagamento são como máquinas de cartão, só que utilizadas em lojas virtuais. Diferente dos intermediadores, neste modelo o controle de fraude fica por responsabilidade do lojista e o processo de compra é feito no ambiente da loja. Se sua empresa é de médio e grande porte, esta é a opção indicada, pois você terá um controle maior sobre as vendas.

Exemplos de gateways de pagamento: MundiPagg, CobreDireto.

3. Integração direta com o adquirente
Neste tipo de integração não existe intermediador, por isso, sua única taxa será a da administradora do cartão. A finalização da compra e a verificação do saldo do cliente é feita pela própria loja virtual e os problemas relacionados à fraude, são de responsabilidade do lojista. Devido ao valor de implantação, esse meio de pagamento não é indicado para pequenas empresas. Se seu negócio está crescendo, trata-se de uma ótima opção – pois você terá total controle sobre seus pedidos.

Exemplos de adquirentes: Cielo, Rede.

Vale lembrar que é importante avaliar todas as possibilidades. É preciso ver qual das opções têm mais relação com seu tipo de negócio, para assim tomar uma decisão.

Ainda não tem uma loja virtual? Clique aqui, conheça nossa plataforma de e–commerce e crie sua loja virtual agora mesmo.

Venha para o Signashop e tenha uma loja virtual de qualidade, com um investimento justo.

CRIE UMA LOJA E TESTE GRÁTIS POR 14 DIAS

Leave a Reply

Your email address will not be published.