E-commerce brasileiro cresce em 6 meses o mesmo que em 6 anos

E-commerce brasileiro cresce em 6 meses o mesmo que em 6 anos
Dai 9 de outubro de 2020 Blog

Devido a pandemia, hoje é difícil encontrar alguém que não tenha realizado pelo menos uma compra online este ano. Com o isolamento social, as pessoas não frequentavam as lojas e estabelecimentos, e isso  foi o incentivo que faltava para aqueles que ainda tinham receio em comprar online.

Com isso, o setor de e-commerce cresceu em 6 meses o mesmo que em 6 anos, passando de 2,9% para 3,7% no Estado de São Paulo. De acordo com um estudo da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), a taxa de crescimento do e-commerce registrada entre os anos de 2013 e 2019, foi a mesma que registrada no primeiro semestre deste ano.

“Em apenas seis meses de pandemia, a participação do comércio eletrônico no varejo cresceu o equivalente a seis anos anteriores”, declarou Kelly Carvalho, a assessora econômica da Fecomércio-SP.

Marketplaces

Os marketplaces tiveram um papel importante nesse processo de crescimento. Afinal, abriram as portas para que pequenas empresas começarem a  vender online de forma rápida e fácil. Muitos lojistas que começaram vendendo apenas através de marketplace, hoje já conseguiram montar sua loja virtual e trabalhar em paralelo, captando clientes de vários canais lucrando cada vez mais.

Ticket Médio

Conforme o e-commerce cresce, o ticket médio também aumenta. Só neste primeiro semestre, considerando o Estado de São Paulo, o ticket médio em compras aumentou 17,5%, quase o dobro do varejo tradicional, que teve alta de 9,4% no mesmo período. A Capital Paulista continua sendo a maior aposta até o final do ano. A expectativa é que termine 2020 com algo entre 6% e 7% das vendas do varejo.

Se essa marca for alcançada, São Paulo se aproximará muito da cidade de Nova York (que respondem por cerca de 10% do total) em relação ao desempenho no e-commerce. 

Além da capital do estado, a região do ABC paulista também registrou um aumento significativo do e-commerce neste primeiro semestre. Passou de de 3,2% ao final de 2019 para 4,4% no fim do primeiro semestre de 2020. 

Segundo a economista Kelly Carvalho, a maioria dos bens duráveis, de maior valor, foram comprados no começo da pandemia. A tendência para os próximos meses é de estabilização do valor gasto, uma vez que as pessoas estão receosas do que ainda está por vir.

Como foi a o primeiro semestre do seu e-commerce? Conta pra gente nos comentário.

Daiane Caroline

Publicitária de formação e apaixonada por comunicação. Escreve para o blog da Signativa e toma café o tempo todo.

Post your comment